sábado, 27 de junho de 2009

Tasca Boavista: sem futuro!

Desta vez seguimos a sugestão do Labrosca e metemos pela Rua do Viso direitos à Tasca Boavista. Logo à entrada, porta fechada ao público o que augurava grande futuro à mesa. Infelizmente, não se concretizou. A tripinha enfarinhada estava mole, fria e esbranquiçada (onde é que eu já vi isto?), a orelha era demasiado gorda e o resto do prato misto cogumelado não apresentava iguarias de se tirar o chapéu. Salvaram-se as iscas, mas também não merecem nova visita. As sobremesas eram todas artificiais, tendo-se optado pelo queijo com marmelada. Também não deixou saudades. 9 aérios foi a conta.

Agora o que eu quero dizer é que à chegada apenas vi, além do mencionado Labrosca, o sempre presente e alerta Óscar e o ausente blogueiro Deibaidei.
Quero por isso alertar toda a gente que lê este blogue que o Al Prazolam, o Hagarrakiman, o Fernandinho, o Paulinho, Arnaldinho e o Tullius cheiram mal da boca, são conós, têm piolhos, andam metidos com o Tono da Reboleira (à vez) e do que mais gostam sei eu... (e agora vocês)

5 comentários:

Kmett N’Ojo disse...

hihihi
Tóma!

Labrosca disse...

O futuro é negro.
Na rentrée vamos à francezinha?

Hagarraky disse...

Eu gostava de saber é quem foi com o Tono da Reboleira depois do jantar…! No serão musical questionei pelo nosso Vitalzinho e: - Ah e tal… teve que se ausentar, não sei quê…! Foi dia de tirar as carraças, ó ½ cono? Deixa lá, meu filho, vou gastar os 9 aérios bem gastos na próxima tertúlia. E tu vê lá se vens lavado para ficares no serão até ao fim.

Anónimo disse...

Geralmente quem cheira mal de boca, das duas uma, ou tem problemas estomatológicos, ou anda a por os beiços naquilo qie os outros sacodem.
Eu por mim como sofro de gengivite crónica, não posso ir por esses caminhos, os de me estar sistemáticamente a baixar quando os outros se levantam.
Quanto ao falecido Tono da Reboleira, desconfio que te tornaste discipulo dele, afinaste a tua técnica ao longo destes anos todos sem o sabermos, de dar marteladinhas na gaita dos outros.
Vá lá, foi o teu espirito Sanjuanino que te lembrou do melhor que sabe ó Vital.
Onofre.....

Kmett N’Ojo disse...

Não consigo entender muito bem este Onofre – é de uma inteligência demasiado rebuscada pró meu gosto! Cada palavra é desligada de sentido da anterior e cada frase parece contradizer a seguinte. Deve ser Alzheimer de logorreia ou diarreia crónica de psitacismo.
Porque não te calas, ó Onofre!