quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Os melhores espumantes, alvarinhos e verdes abaixo dos 10 Euros

Com uma ou duas excepções, eis os melhores espumantes, alvarinhos e verdes do mercado, abaixo dos dez Euros.

Espumantes
17 – Murganheira, Távora Varosa Espumante Velho Reserva Branco 2002, 9,40
16,5 – Murganheira, Távora Varosa Espumante Super Reserva Branco 2004, 7,50
16 - Milheiro Selas, Bairrada Espumante Branco 2006, 4,50
15,5 - Primavera, Baga, Espumante Bruto, 2007, 4,99
15,5 - Quinta da Pedreira, Espumante Bruto, 2006, 4,95

Alvarinhos
18 – Muros de Melgaço, Verde Alvarinho Branco, 2008, Anselmo Mendes, 14
17,5 – Soalheiro, Alvarinho Branco, 2008, Vinusoalleirus, 9,50
17,5 – Contacto, Verde Alvarinho Branco 2008, Anselmo Mendes, 9
17 – Muros Antigos, Verde Alvarinho Branco, 2008, Anselmo Mendes, 9
16,5 – Portal do Fidalgo, Alvarinho Branco, 2008, Provam, 7,35
16,5 – Deu La Deu, Verde Alvarinho, Branco, 2008, Adega Coop. Reg. de Monção, 5,85
16,5 – Aveleda Follies, Alvarinho Branco, 2008, Aveleda, 7,89
16,5 – Casa de Canhotos, Alvarinho Branco, 2008, Fernando Rodrigues, 6
16,5 – Reguengo de Melgaço, Alvarinho Branco, 2008, Hotel do Reguengo de Melgaço, 8
16 – Encosta dos Castelos, Alvarinho Branco, 2008, Manuel Rodrigues de Oliveira, 5
16 – Dom Salvador, Alvarinho Branco, 2008, Manuel Salvador Pereira, 6
16 – Adega do Sossego, Alvarinho Branco 2008, António Castro, 5
16 – O Nogueiral, Alvarinho Branco, 2008, Augusto João Fernandes, 5,50

Vinho Verde e Regional do Minho

17,5 – Quinta do Ameal, Reg. Minho Escolha, Branco 2004, 12
16,5 – Muros Antigos, Verde Loureiro Escolha 2008, Anselmo, 5
16,5 – Passionada, Verde Escolha Loureiro, Branco, 2008, Anselmo, 7
16,5 – Quinta do Ameal, Verde Loureiro, Branco 2008, 7
16,5 – Quinta da Massôra, Reg. Minho Col Sel. 2007, Rui Viseu Cardoso, 6,50
16,5 – Quinta da Massôra, Reg. Minho Branco 2008, 6,50
16 – Quinta dos Carapeços, Reg. Minho Espadeiro Rosé, 2008, 4,60
16 – Quinta de Linhares, Vinho Verde Avesso, Branco, 2008, Agri-roncão Vinícola, 5
16 – Encosta d’Aregos, Reg. Minho Branco, 2008, Álvaro Monteiro Ribeiro, 4
16 – Mito, Verde Branco, 2009, Anselmo, 5,60
16 – Casa do Valle, Verde Branco, 2008, 5,50
16 – Nopa, Vinho Verde Grande Escolha Branco 2008, Wine Vision, 5,90
15,5 – Paço de Teixeiró, Reg. Minho Branco 2008, Montez Champalimaud, 3,99
15,5 – Rosa dos Mares, Verde Escolha Branco, 2008, Anselmo Mendes, 3,75
15,5 – Dom Diogo, Verde Azal, Col. Sel. Branco 2008, J. D. Teixeira Coelho, 3,20
15,5 – Clemen, Vinho Verde Reserva, 2008, Touquinheiras, Soc. Agro-turística, 4
15,5 – Dom Diogo Verde Col Sel. Padeiro Rosé, 2008, 3,75
15,5 – Quinta da Raza, Verde Grande Escolha, 2008, 4
15,5 – Quinta da Lixa, Verde Loureiro Branco 2008, 3,20
15,5 – Quinta da Lixa Verde Branco 2008, 2,95
15 – Arizo, Verde Branco, 2008, Quinta do Pinheiro, 2,50
15 – Plainas, Verde Branco, 2008, M. Teresa Marques Leandro, 2,70
15 – Plainas, Verde Rosé, 2008, 3
15 – Quinta de Curvos, Verde Superior Branco, 2008, 2,95
15 – Quinta da Lixa, verde Trajadura Branco 2008, 3

2 comentários:

Óscar disse...

Espumantes, para mim nem oferecidos!

Labrosca disse...

Vital, como eu te entendo.
Conhecer os verdes, é conhecer a vida agreste do Minho e das suas gentes, é entrar-lhes no sangue no espírito e na amargura das suas lágrimas.
Conviver com os espumantes, é ir mais além, ao limiar do sublime.
Boa lista, Vital.
Sugiro que a complementes com o "Solar de Serrade", umas centenas de metros após a adega de Monção. Aliás, pega na tua família e vai passar um fim de semana com o espectacular Sr. Adriano do Solar de Serrade. Vais ver um solar que estava completamente destruído, e foi levantado exterior e interior pedra a pedra, móvel a móvel e as imparáveis esposa e cunhada do anfitrião. Vai ver a belíssima adega, conhecer o jovem enólogo, visitar as vinhas e provar aquele néctar.
Vais ver que é injusto não o incluir na lista.