sábado, 11 de dezembro de 2010

Consumo imediato....

Imagem daqui


Serve esta história para ilustrar aquilo que penso acerca do (estúpido) frenesim em que vivemos, bem exemplificado, aliás, na reacção da maioria dos leitores do blogue perante publicações que exijam mais que 2 ou 3 minutos de atenção:

Felipe lembrou-se da história do Rei do Oriente que, desejando conhecer a história da humanidade, recebeu de um sábio cinco volumes; ocupado com negócios de Estado, pediu-lhe que a condensasse. Ao cabo de uns anos, o sábio voltou e a sua história ocupava agora apenas dois volumes; mas o rei, continuando ocupado e já sem paciência para ler livros volumosos, pediu-lhe que a fosse abreviar mais uma vez. Passaram-se de novo uns anos, e o sábio, velho e enfraquecido, trouxe um único e fino volume com os conhecimentos que o rei procurara; este, porém, estava deitado no seu leito de morte, nem tinha mais tempo de ler sequer aquilo. Aí o sábio, de súbito inspirado na vida do próprio Rei, deu-lhe a história da humanidade numa única linha: “Nasceram, sofreram, morreram”.


“A Servidão Humana”, Somerset Maughm (Adaptação livre)

3 comentários:

F disse...

É triste constatar que vai havendo muito pouca disponibilidade psicológica.

Pedro Éme disse...

... pouca disponibilidade intelectual. Pouca disponibilidade para além do próprio umbigo. POUCA VONTADE de sorver, e os absorver, os sucos e as polpas que não venham já espremidas e empacotadas POR OUTREM; QUE-A-VIDA-DELES-NÃO-É-ISTO-!
... e mesmo assim...! va savoir!

Hagarra disse...

Li as primeira 3 linhas... agora não posso ler o resto... prá semana vou ver se acabo... depois digo alguma coisa... xau!