quinta-feira, 8 de julho de 2010

Lista do que não gosto

Trânsito.
Acidentes no trânsito.
Distracções.
Acordos ortográficos.
Barulho.
Dor no peito.
Confiar em gente invejosa.
Ciática.
Lidar com a incompetência e calar.
Perceber que acabou o pudim.
Agressividade como cartão de visita.
Precisar de uma casa de banho pública.
Assistir aos absurdos da política e descobrir que algumas pessoas não têm vergonha do que fazem.
O excesso de leis.
Pedra no sapato e um cabelo na comida.
Gente atrasada e correria.
Fanatismo.
Cisco num olho.
Histeria.
Futebolês.
Comentadores desportivos.
Não sei quantos Francisco, comentador desportivo.
Comida fria.
Utilizar seguros.
Coca-Cola quente.
Cerveja quente.
Armas.
Seven-Up sem gás.
Conviver com a falta de educação.
Um Pitbull solto, com o dono, pior que o cão.
Gente chata.
Ter que matar bichos.
Os latidos dos cães do vizinho.
As obras na casa do vizinho.
As discussões na casa do vizinho.
O vizinho...
Pessoas que dizem que adoram a vida.
Pessoas que dizem que vivem a vida ao máximo.
Pessoas que dizem que vivem cada dia como se fosse o último.
Pessoas que dizem que há mil maneiras de cozinhar bacalhau.
Pessoas que iniciam todas as suas frases com a palavra “tipo”.
Pessoas com pins e autocolantes a dizer free this e legalize that, ex: “Free Tibet” ou "Legalize Marijuana".
Pessoas que usam t-shirts do Che Guevara.
Pessoas que escrevem jinhos e jocas.
Pessoas que não pagam os impostos mas cantam “A Portuguesa” a plenos pulmões.
Pessoas com sotaque do Puêrto.
Monárquicos. Comunistas. Fascistas.
Ter de aguentar.
Pessoas que dizem que Jesus é o seu salvador.
Cristãos que são sardónicos quando dizem às crianças que o Pai Natal não existe. Cristãos evangélicos.
Pessoas com tatuagens tribais.
Pessoas com o nome dos filhos tatuado no braço.
Pessoas com uma borboleta ou golfinho ou águia ou dragão ou sereia ou tubarão tatuado em qualquer parte.
Tatuagens.
Whisky de cinco euros.
Adultos que tocam vuvuzelas.
Ganhar pouco dinheiro.
Descoberta da falta de papel higiénico depois da consumação do acto.
Próstata.
Séries televisivas juvenis.
Telenovelas brasileiras.
Telenovelas portuguesas.
Telenovelas.
Carlos Queirós.
Pessoas que citam ou referem constantemente Fernando Pessoa, Bruce Lee, James Dean, António Gedeão, José Rodrigues dos Santos, Gandhi, Nehru, Margarida Rebelo Pinto, Mandela, ou os Cafés Nicola.
O preço dos restaurantes.
Grávidas que passam à frente na fila do supermercado.
Idosas a contar moedas de um cêntimo na caixa do Pingo Doce.
Homens de meia-idade com sapatilhas All-Star.
Hip-Hop tuga.
A morte do flirt.
Pessoas que se manifestam quando um traficante de droga morre na Cova da Moura mas são uns cabrões para os vizinhos.
Pessoas carinhosamente chamadas “J.P.”.
Gorjetas.
Globos de Ouro portugueses.
Bárbara Guimarães.
Os «artistas» portugueses.
Programas televisivos matinais com a presença de portadores de trissomia 21.
Programas televisivos matinais.
Programas televisvos vespertinos com a Dona Conceição, que mora no Zambujal.
Ladrões que dizem: “Ei, ó colega, empresta-me um euro”.
Bebidas coloridas isotónicas.
Pessoas que dizem que o Ronaldo é um grande jogador.
Pombas.
Paulo Coelho.
Fogo-de-artifício de hora e meia do São João.
Fogo de artifício.
São João no Puerto.
Blogs com uma música automática.
As 4 estações ao telefone.
A Zon TV Cabo.
Anúncios automáticos em sites.
Bancas de best-letters em aeroportos e bombas de gasolina.
Kuduro.
Discotecas em geral.
Recém-divorciadas de 50 anos.
Reality shows.
Malucos do Riso.
A expressão “mano”.
Caixas de música.
Pessoas que trabalham em bancos, repartições de finanças e Lojas do Cidadão.
Broca de dentista.
Turistas asiáticos.
Pessoas com mais de dois nomes próprios.
Truques de magia.
“Apita o comboio” em casamentos.
Autocolantes em carros a dizer “Cuidadinho aí, vão miúdos aqui”.
Gajos de meia-idade num BMW Z3.
Pessoas que tratam os pais por “você” ou pelo nome.
Pessoas que reclamam por férias.
Livros digitais.
Caixinhas de esmolas para meninos com lepra em África.
Carros eléctricos.
Filmes do Jackie Chan, Chuck Norris, Steven Seagal e Jean-Claude Van Damme. Programas televisivos de passatempos que passam de madrugada.

4 comentários:

Óscar disse...

Estou genericamente de acordo. Só uma pequena dúvida: essa do J.P. não é pessoal, pois não?

F disse...

Também. Genericamente, com algumas excepções.

Sublinho: confiar em gente invejosa;
Um Pitbull solto, com o dono, pior que o cão; a morte do flirt; o S. João no Porto

Acrescento:
Pessoas que tratam os sogros por tio.

Al Prazolam disse...

De acordo em quase tudo.
E ainda há mais. Fico à espera da "Lista Do Que Não Gosto II"...
(Por acaso detesto esta mania dos filmes que se prolongam em II, III, IV, ...)
Gosto de te "ver" por cá.
Não gosto de usar "", mas enfim...
Também não gosto de escrever "...", mas enfim.
Também detesto dizer "enfim..."!!!

Labrosca disse...

Detesto não gostar de nada em especial e de tudo em particular.